sexta-feira, 29 de janeiro de 2010


A Polícia Militar do Rio Grande do Norte vai cadastrar 3.826 policiais no programa Bolsa Copa


Entrevista do Sargento Johnson ao nominuto.com

De acordo com o gestor estadual do bolsa formação, o sargento PM Johnson, o Ministério da Justiça solicitou a PM do RN que fosse enviada a quantidade de policiais que trabalham operacionalmente na área metropolitana de Natal.
Com isso, 3.826 policiais militares serão cadastrados no Bolsa Copa. “Mas, esse número ainda pode se estender para mais gente, de acordo com o que for determinado pelo Ministério”, completou o sargento.

Ele explicou que esses policiais são os mesmos que participam atualmente do Bolsa Formação do Pronasci. Neste programa, os policiais também realizam cursos e recebem o auxilio de R$ 400.

“Caso entre no Bolsa Copa, o policia automaticamente deixa o bolsa formação. Ele só poderá ficar em um dos programas”, conta o sargento Johnson.

O pagamento aditivo aos PMs se iniciará em julho deste ano.

“Tudo está ligado a área operacional. Até porque, no período da Copa teremos gente de todo o mundo em Natal. Então, nosso policiais precisam estar preparados”, completou o sargento Johnson.

Critérios do RN:

1. Área Operacional;
2. Região Metropolitana;
3. Limite de 3.826 policiais cadastrados (do soldado ao coronel).

*Não existe limite de renda salarial.

O beneficio será pago a partir de julho deste ano àqueles que fizerem cursos de especialização oferecidos pelo Ministério da Justiça.

O Sargento Johnson é qualificado para dar entrevista a qualquer meio de comunicação. Devido a sua função de gestor estadual. 

Fonte. nominuto.com

terça-feira, 26 de janeiro de 2010


“Cinquenta mil policiais de dez estados brasileiros começarão a receber, a partir de junho, uma bolsa de R$ 1.200, do governo federal.
Esse contingente poderá ser ampliado e tem como objetivo preparar a segurança da Copa do Mundo de 2014.
Para fazer jus à bolsa, os estados vão mudar a carga horária desses policiais, que darão expediente como qualquer trabalhador.
O objetivo é acabar com a indústria do “bico”. Esses policiais terão que participar de vários cursos de formação.
O presidente Lula e o ministro Tarso Genro (Justiça) vão lançar o Bolsa Copa no dia 26 de janeiro.
Os estados terão até junho para definir a quantidade de policiais que vão receber o auxílio. Decidido isso, o governo federal ampliará os recursos para o Pronaf, que já tem uma dotação de R$ 100 milhões.
Nos próximos anos, o governo federal pretende ampliar os beneficiados, a exemplo do Pronaf, que começou com 25 mil recebendo R$ 400 (mês), e hoje tem 175 mil.
O Rio, por causa das Olimpíadas de 2016, terá tratamento especial. A cooperação vai aumentar. Assessores do presidente Lula dizem: “A batalha do Rio é fundamental”.”

Lula assina decreto que cria a Bolsa Copa e a Bolsa Olímpica


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta terça-feira o decreto que cria as Bolsas Copa e Olímpica para policiais que irão trabalhar nos Jogos. Com isso, a partir de julho deste ano, os profissionais de segurança pública começarão a receber um adicional que aumentará gradativamente até a data dos eventos.

No caso da Bolsa Copa, policiais e bombeiros das capitais que sediarão as competições vão começar recebendo R$ 550 a mais em 2010. A partir de 2011, a bolsa passa a ser de R$ 665. Em 2012, o acréscimo passa a ser de R$ 760, e em 2013 de R$ 865No ano da Copa do Mundo, os profissionais de segurança pública passarão a receber R$ 1.000 a mais no salário. O valor não será perdido após os Jogos, e será incorporado pelos governos estaduais permanentemente.

Já a Bolsa Olímpica será paga exclusivamente aos profissionais do Rio de Janeiro. No caso deles, o valor será fixo de R$ 1.200. Os policiais e bombeiros do Rio não receberão a Bolsa Copa, apenas a Olímpica até 2016. Depois dos Jogos, o valor também será incorporado aos salários pelo governo estadual.

As regras serão as mesmas do Bolsa Formação - programa que paga um adicional para os policiais que se propõem a fazer cursos de capacitação. Essa bolsa também recebeu aumento nesta terça-feira, passando de R$ 400 para R$ 443.

Fonte: oglobo.com

domingo, 24 de janeiro de 2010

Inf. Bolsa Olímpica



Se tudo ocorrer bem, em breve os policiais militares do Rio de Janeiro começaram a ganhar a bolsa olímpica, veja a proposta do projeto:





domingo, 17 de janeiro de 2010


Resultado da Assembleia Geral realizada no dia 16/01/2010


A Assembleia Geral realizada neste sábado (16), teve como pauta a apresentação da Prestação de Conta e mudança do Estatuto da Entidade.

A apresentação da Prestação de Conta estará disponível na internet, através do site da ACShttp://www.acspmrn.org.br/, conforme declara o diretor financeiro da entidade Cabo Josivan, deixando mais transparente os gastos da ACS.

Durante duas horas os sócios debateram as mudanças dos artigos referentes ao estatuto da ACS.

As principais mudanças foram:

• O presidente de honra será o sócio com mais tempo na entidade; (o estatuto atual nomeava o Comandante Geral da Polícia).
• O valor da mensalidade será 2% do salário bruto do associado; (não contando como salário bruto as gratificações de auxilio fardamento e auxilio transporte).
• Poderá ser sócio da entidade o policial militar da ativa, da reserva, reformado, as pensionistas, servidores públicos civis e aposentados do Estado;
• Os sócios majoritários serão os Cabos e os Soldados da Ativa;
• Será cobrada a contribuição natalina no valor de 50% da mensalidade;
• Poderão se candidatar ao cargo de Presidente Executivo, apenas os Cabos e Soldados da Ativa com no mínimo 5 anos de sócio; e,
• Os mandatos serão de 3 anos, podendo o presidente executivo se reeleger apenas uma única vez.

No final o Cabo Jeoás convidou a todos os sócios presentes e aqueles que assistiam pela internet através do blog Guerreiros do RN, e principalmente os que não puderam a está presentes, a comparecerem no próximo dia 06 de fevereiro, às 09:00 horas, no Clube Tiradentes, afim de participarem da Assembleia Geral Unificada para avaliarmos o descumprimento do acordo por parte do governo do estado.

fonte  blog Cabo Heronides

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010


Mãe Luiza volta a ser palco da violência

Situação de violência diminuiu nos últimos anos no bairro, mas, nesta semana, voltou a assustar moradores.


O bairro de Mãe Luiza ficou conhecido no passado pelos altos índices de violência e constantes mortes. O tempo passou e a situação se amenizou naquela área com a intervenção de algumas políticas públicas e ações sociais. Na última semana, no entanto, o bairro voltou a ser palco da violência.

Em cinco dias, foram três tiroteios que deixaram uma criança de apenas um ano baleada e vários moradores assustados. Nesta terça-feira (12), seis pessoas foram detidas depois que a polícia fechou uma boca de fumo. O motivo para os conflitos é o trafico de drogas e a disputa por pontos de vendas.

Para o chefe de Operações do Comando de Policiamento Metropolitano, major Alarico Azevedo, as ruas estreitas e a concentração de casas no bairro elevam a disputa por espaços e, consequentemente, os conflitos entre traficantes rivais.

“Mãe Luiza tem ruas estreitas e é uma região mais concentrada, ao contrário de outros bairros. Com isso, talvez existam lá mais pontos de vendas de drogas o que provoca atritos. Um traficante não quer que o rival invada seu espaço e, quando isso acontece, existem as trocas de tiros”, comentou.

Apesar disso, major Alarico Azevedo ressalta que os casos de homicídios em Mãe Luiza diminuíram consideravelmente nos últimos anos. O mesmo é destacado pelo jornalista Flávio Rezende que morou no bairro durante 15 anos e desenvolve um projeto social.

“Há sete oito anos quase todo dias tínhamos tiroteio, agora são situações esporáticas. Mas, se não houver um trabalho em cima desses novos criminosos que estão atuando no bairro, a situação pode voltar a ser como antes”, frisa.

Flávio Rezende lamenta episódios como os registrados nos últimos dias e afirma que isso compromete a imagem de Mãe Luiza. “É lamentável sobre todos os aspectos, porque a violência deixa todo mundo assustado, apreensivo”. 

O jornalista citou como exemplo a assinatura que fez de uma revista nacional que saía no sábado, mas só chegava em sua casa na quarta-feira. “Entrei em contato com eles e me disseram que isso estava acontecendo porque o bairro era classificado como área de risco e a entrega tinha que ser feita pelos Correios. Ou seja, a violência acarreta uma série de problemas. Até pra pegar um táxi para Mãe Luiza é complicado”.

Mesmo reconhecendo que nos últimos anos a situação no bairro melhorou bastante, Flávio ressalta que a área precisa de mais políticas públicas e policiamento. “A gente faz apelo as autoridades para que não tenha policiamento só nos bairros ao redor de Mãe Luiza, o próprio bairro precisa de proteção”. 

Atualmente, Flávio Rezende desenvolve no bairro um projeto social chamado Casa do Bem. Diariamente, quase 500 crianças são atendidas em ações como a escolinha de futebol e grupos de dança.

Operação
Na ação realizada pelas policias militar e civil, nesta terça-feira, seis pessoas foram presas, sendo um adolescente de 17 anos, conhecido por “Cafuçu”, e cinco adultos. 

Entre os adultos está Erinaldo da Silva Cruz, o Peito de Aço. Ele é pai do menino de ano que foi atingido na quinta-feira da semana passada e, segundo a polícia, seria o pivô dos últimos conflitos.

Os policiais também prenderam Isaac Eleno da Cruz. O acusado chegou a ser baleado na perna e com ele a polícia apreendeu uma pistola ponto 40, que havia sido roubada da Polícia Rodoviária Federal. Além disso, foram apreendidas 100 pedras de crack e 100 gramas de maconha e um revólver calibre 38.

Os outros presos são: Phatrison da Silva Melo, conhecido como “Paulinho”, Edil Bernardino Pereira, conhecido por “Xuxu”, e Railson Pereira de Souza, de apelido “Periquito”.

A criança de apenas 1 ano de idade - que foi vítima de balas perdidas no dia 7 de janeiro em Mãe Luiza – recebeu alta médica do Hospital Walfredo Gurgel, onde estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI)

fonte nominuto.com