segunda-feira, 31 de agosto de 2009


MILITAR É ASSIM

MILITAR não entra,AVANÇA.
MILITAR não pode: TEM PERMISSÃO.
MILITAR não come: ARRANCHA.
MILITAR não dorme: TORA.
MILITAR não relaxa: ACOCHAMBRA.
MILITAR não adoece: BAIXA.
MILITAR não anda: SEM CADENCIA MARCHE.
MILITAR não desfila: MARCHA.
MILITAR não se arrasta: RASTEJA no 1º processo.
MILITAR não se agrupa: FICA COBERTO E ALINHADO.
MILITAR não se proteje: FICA COBERTO E ABRIGADO.
MILITAR não se esconde: FAZ CAMUFLAGEM .
MILITAR não tem tarefa: TEM MISSÃO.
MILITAR não tem carro: TEM VIATURA.
MILITAR não pratica esportes: PRATICA TFM.
MILITAR não tem alarme: TEM PDA.
MILITAR não é burro: É BIZONHO.
MILITAR nao vai embora: SEGUE DESTINO.
MILITAR nao faz bagunça: TOCA O ZARALHO.
MILITAR nao tem dica: TEM BIZÚ !
MILITAR não fica de boa: RELAXA POSIÇÃO.
MILITAR não cumprimenta: PRESTA CONTINÊNCIA.
MILITAR não some: VOA.
MILITAR não tem despertador: TEM TOQUE DE ALVORADA.
MILITAR não cancela: DÁ ÚLTIMA FORMA..
MILITAR não trai a mulher: TEM ALFA 2

GTO de Parnamirim





PMdoasangueSeguindo a programação doMovimento Polícia Legal (MPL) no Rio Grande do Norte, hoje ocorre durante todo o dia em frente à sede da Associação de Cabos e Soldado-PMRN a coleta de sangue dos voluntários (na maioria policiais militares), através do apoio do Hemonorte e seu posto móvel. A ação, intitulada de “A POLÍCIA DOA O SANGUE A SOCIEDADE“, fora anunciada durante a assembleia, ganhou força no Orkut e nos blogues afins. 
Conforme já escrevi anteriormente, a busca por doadores de sangue é algo comum nas organizações militares. Mas dessa vez a iniciativa vai além do gesto de caridade, ela tem valor simbólico. A escolha da data não foi por acaso. 25 de agosto é o dia do soldado, nada mais apropriado do que comemorá-lo fazendo o que se espera de um milico: ajudando a sociedade. Além disso, o ato serve para uma analogia óbvia. Sempre se diz que o policial dá o sangue pela sociedade e agora essa afirmação ganha um sentido literal. E por fim, o principal objetivo da campanha: a demonstração de que a categoria tem buscado outras maneiras mais produtivas e benéficas para a população de chamar a atenção para suas reivindicações sem apelar para medidas drásticas como uma paralisação.
Eu sou um doador de sangue e como já estava apto para doar novamente não tive dúvidas em passar hoje pela manhã na ACS e deixar minha contribuição. Alguns estão fazendo pela primeira vez e espero que de muitas outras. Independente do motivo, sou um incentivador desse gesto humanitário. Só não vou mentir, dói um pouco (quase nada). Afinal é uma agulha que perfura o seu braço.

domingo, 30 de agosto de 2009


Já estávamos no fim de mais uma jornada de trabalho. Passava-se das vinte e três horas de uma monótona segunda-feira, dia geralmente tranquilo no que tange à criminalidade violenta, cujo combate era nosso principal mister. Patrulhávamos o Bairro Nova Pampulha, numa região conhecida como “mangue seco”. Tal denominação não foi escolhida por acaso. As ruas do local eram todas de terra; parte delas intransitáveis, devido a enormes crateras provocadas pela voracidade das águas pluviais. Os lotes lindeiros lembravam a vegetação da caatinga. As residências eram construídas precariamente, a maioria delas não possuía reboco, o que contribuía para o aspecto desértico do local.

Neste cenário nada inspirador, ocorreu uma situação cômica, envolvendo uma guarnição do GIEAR (Grupo de Intervenção Estratégica em Áreas de Risco); mais precisamente aquela estava sob meu comando. Quando descíamos a rua vinte e cinco, uma das poucas que era possível percorrer embarcado na viatura, deparamos com um sujeito franzino, alto, moreno escuro (não é eufemismo, ele realmente não era negro), trajando roupas simples e empurrando uma bicicleta, a qual era tão velha que só servia mesmo pra empurrar.

O motorista da equipe, Soldado Marcel, menciona: “Vamos abordar?”. Nosso patrulheiro, Cabo Araújo, acrescenta: “Só pra não perder o costume, nesta hora, andando na favela, tem mais é que tomar geral”.

Mesmo acreditando não se tratar de um suspeito em potencial, decido pela abordagem.

O suspeito estava do lado esquerdo da viatura, nesse caso quem efetua o “enquadramento” é o motorista ou o patrulheiro. O Soldado Marcel encarregou-se da missão: “Pare. Larga a bicicleta. Coloca as mãos na cabeça. Abra as pernas”. O abordado acatou as ordens sem pestanejar. O militar iniciou a busca pessoal.

Cumpre registrar que um pouco antes do fato ora narrado, Marcel havia dito: “Pô Sargento, nós já estamos indo embora e não prendemos ninguém ainda”.

Marcel é daqueles policiais que não conseguem dormir se passar um dia sem tirar um infrator das ruas. Cansei de tentar persuadi-lo de que o dia que trabalhamos pouco é porque trabalhamos bem, haja vista que nossa missão é prevenir.

Evidentemente, interpretei a pronúncia do soldado como brincadeira, contudo comecei a me preocupar no instante que Marcel passou a interpelar o suspeito, dando a entender que realmente não queria ir embora sem prender alguém.

- Seu Nome?
- Abraão - respondeu o jovem, já com as pernas trêmulas.
- Abraão. Então foi você quem traiu Jesus - afirmou o militar, aumentando o tom de voz.
- Não, senhor, eu sou Abraão, o Rei das Nações.
- Que rei o quê, tá achando que eu sou otário, foi você mesmo que mandou enforcar Jesus.

Neste momento, preparava-me para apartar a discussão quando percebi a cara de deboche do Soldado Marcel e constatei que ele estava de gozação. Por outro lado, o Cabo Araújo, acreditando que aquilo terminaria em “desacato” utilizou-se de seus vastos conhecimentos bíblicos, pois é evangélico praticante, e disse : “O rapaz está certo. Quem traiu Jesus foi Judas, e Abraão foi mesmo o Rei das Nações. E tem mais, Jesus não foi enforcado, mas sim crucificado”.

Assim, Marcel soltou o suspeito e todos nós começamos a rir do episódio e ainda tivemos uma pequena aula litúrgica, haja vista que o então suspeito também era evangélico fervoroso.

Não sei o que aconteceria se o nome do rapaz fosse Judas...

Fim

Autor: Nivaldo de Carvalho Júnior, 3º Sgt PM - obra escrita em 04/01/2006

Nota: Esta é uma obra de ficção. Nomes, personagens, fatos e lugares são frutos da imaginação do autor e usados de modo fictício. Qualquer semelhança com fatos reais ou qualquer pessoa, viva ou morta, é mera coincidência.

"É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença” - Inciso IX do artigo 5º da Constituição Fe

Operação Torre de Babel combate comércio de produtos roubados

Operação Torre de Babel combate comércio de produtos roubados
Publicação: 30 de Agosto de 2009 às 11:09

A Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) realizou na manhã deste domingo, dia 30, a “Operação Torre de Babel”, na feira livre de Cidade da Esperança, na Zona Oeste de Natal, para reprimir o comércio de objetos roubados. Foram apreendidas quatro motocicletas roubadas, mais de 500 aparelhos celulares, além de aparelhos de som automotivo, TVs, DVDs, placas de equipamentos de informática, e mídias de CD e DVD piratas. Também foram apreendidos animais silvestres, gaiolas e alçapões.
Divulgação
Cerca de 300 policiais participaram da operação que contou com o apoio do helicóptero Potiguar I
Cerca de 300 policiais civis e militares, além de servidores da Secretaria de Tributação e do IBAMA participaram da operação. O helicóptero “Potiguar I” deu suporte à ação realizada às 7 horas. A Secretaria da Segurança fornecerá maiores informações sobre a operação às 10 horas da segunda-feira, dia 31, na Sesed.

Quadrilha corta telefone da PM e leva caixa eletrônico da Prefeitura


Quadrilha corta telefone da PM e leva caixa eletrônico da Prefeitura

Um crime atípico, ousado e,até agora, bem planejado. Oito homens ainda não identificados roubaram o caixa eletrônico de dentro do prédio da Prefeitura de Pendências, após cortar o telefone do Destacamento da Polícia Militar do município
De acordo com informações do comandante do Policiamento do Interior (CPI), coronel Francisco Freitas. Os oito homens armados conseguiram cortar a rede telefônica do Destacamento da Polícia Militar (PM) do município de Pendências, em seguida o grupo se dirigiu ao prédio da Prefeitura a bordo de uma Kombi. Chegando no local, o bando rendeu o segurança e roubou o caixa eletrônico. "Eles levaram o caixa dentro do veículo", informou.

Nesse momento as polícias Militar e Civil estão em diligências a procura dos assaltantes. O coronel Freitas já se encontra na região coordenando as ações da PM. As últimas informações dão conta que a quadrilha estaria se dirigindo para a Serra do Mel. Várias barreiras policiais estão sendo montadas nas estradas na tentativa de interceptar o grupo.

domingo, 23 de agosto de 2009

PMs decidem amanhã se haverá mobilização da categoria

PMs decidem amanhã se haverá mobilização da categoria

Após marcar reunião por três vezes, Governo do Estado ainda não se posicionou sobre o cumprimento da Lei 273 e reformulação das legislações. Soldados, cabos, sargentos e subtenentes da Polícia Militar vão se reunir em assembleia nesta sexta-feira, às 13h, no Clube Tiradentes para decidir se haverá mobilização por parte da categoria, pois após o prazo de vinte dias dado ao governo estadual para um posicionamento em relação às reivindicações nada ainda foi decidido. “A categoria pede agilidade do governo. Por três vezes a reunião com o secretário de Administração e Recursos Humanos foi remarcada: primeiro seria hoje ao meio-dia, depois passou para as cinco da tarde e agora foi remarcada para amanhã às 10h. Estamos fazendo nossa parte com responsabilidade, o Comando pediu vinte dias e nós demos, agora resta ao Estado atender os pleitos, não aceitaremos tratar a segurança da população com indiferença”, explica o cabo Jeoás Nascimento dos Santos, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar. As principais reivindicações dos policiais militares são: o cumprimento da Lei 273 que trata sobre o reajuste do piso salarial dos policiais e bombeiros militares, que deveria ser anual junto com os reajustes do salário mínimo. A outra exigência da categoria é a reformulação do Estatuto da Polícia Militar e do Código de Ética e Disciplina. “Esperamos que o governo seja sensível e cumpra a lei que vem sendo descumprida desde 2005. Se recebermos uma negativa, iniciaremos amanhã um movimento legal, cidadão e democrático para que o governo perceba a necessidade de valorizar a corporação e de dar prioridade a segurança pública para o povo potiguar”, afirma o presidente da ACS PM/RN. Ainda de acordo com ele o Governo do Estado tem condições de atender o pleito da categoria. “Estudos realizados pelo Dieese demonstram um crescimento constante das arrecadações no primeiro semestre. A arrecadação das receitas correntes cresceu nesse período 2,94%, em relação a 2008, e a arrecadação da receita tributária cresceu 7,18% pela mesma variação. Embora as transferências constitucionais relativas ao FPE tenham caído no início do ano, nos últimos meses elas voltaram a crescer numa média de 2,91%. Portanto, o governo não poderá alegar falta de recursos financeiros para atender a categoria”, enfatiza. Durante a assembleia também será lançada a Campanha Fome Gera Violência que pretende arrecadar alimentos não-perecíveis entre os policiais, familiares e sociedade em geral no período de 21 de agosto a 7 de setembro. Os alimentos serão destinados a instituições de assistência a idosos, crianças e vítimas de violência.

Associações da Polícia Militar conseguem mudança na escala de serviço

A escala de trabalho dos Cabos e Soldados, Subtenentes e Sargentos e de Bombeiros Militares passará por modificações. Após negociações com o Comando da Polícia Militar, ficou decidido que a escala proposta pela categoria será implantada gradativamente de 12h de serviço por 24h de de folga mais 12h de serviço por 48h de folga. De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Jeoás Nascimento dos Santos, “É necessário humanizar o serviço de Segurança Pública visando, principalmente, a sociedade. Propomos ao Comando uma nova escala de serviço e eles se comprometeram em atender as reivindicações das entidades, determinando o prazo máximo de até a próxima semana para adequar gradativamente essa escala. Mas levantamos a necessidade de instituir uma carga horária definida em lei. Para isso precisamos modernizar nossas legislações como o Estatuto dos Militares Estaduais”, explicou. Na reunião realizada ontem foi abordado o Cumprimento da Lei 273 (escalonamento dos salários). “O governo estadual ainda não concluiu os estudos financeiros para a implementação, mas cobramos agilidade, pois precisamos de respostas concretas até o dia 21. O Comando garantiu que até essa data marcará reunião com os secretários e com a Casa Civil”, afirmou Cabo Jeoás. Está agendada para a próxima sexta-feira, 21, assembléia geral e unificada da categoria, às 13h, no Clube Tiradentes, e decidirá, de acordo com o posicionamento do governo, se haverá paralisação ou não. Da redação do DIARIODENATAL.COM.BR

O MANDATO SARGENTO REGINA AGORA CONTA COM MAIS UM ESPAÇO!

O MANDATO SARGENTO REGINA AGORA CONTA COM MAIS UM ESPAÇO!

"O PROGRAMA ENCONTRO COM A NOTÍCIA" De segunda à sexta, os jornalistas Jâni Vidal, Daniela Freire e Rodrigo Levino comentam os assuntos que são destaques na política nacional, estadual e local, emitindo opiniões e conceitos. A partir de segunda-feira 17/08/09 todos os dias o programa contará com a participação da vereadora Sargento Regina falando de segurança pública no estado. O programa vai ao ar de segunda a sexta as 12h00!
Na TV Tropical. É SEGURANÇA PÚBLICA EM FOCO!!!!!!!! RESPEITE A POLÍCIA!!!!!!!!!!! MAIS UMA VITÓRIA NOSSA!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Gratificação para PMs não pode ser retroativa, diz Tribunal

Os policiais e bombeiros militares, ativos, inativos e pensionistas tiveram reconhecido, pela 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, o direito às gratificações de Função Policial Militar e de Moradia, instituídas pela Lei Complementar nº 341, criadas em 12 de abril de 2007.

No julgamento da mesma ação, a Câmara Cível desobrigou o Estado do Rio Grande do Norte de fazer o pagamento retroativo de parcelas.

O relator do processo no TJRN, juiz convocado Kennedi Braga, destacou que, "ao criar as vantagens, a intenção do legislador foi fracionar o pagamento, como forma de minorar o impacto da implantação definitiva das verbas na folha de pagamento da categoria."

Segundo Kennedi Braga, "em momento algum o legislador demonstrou a intenção de possibilitar o pagamento integral das gratificações de forma imediata, ou mesmo retroativa, já que estabeleceu a regra no artigo 4º da LCE 341/2007, que não deixa margem a qualquer dúvida quanto ao momento de aquisição do direito ao recebimento das vantagens."

Para o magistrado, “a retroatividade do pagamento a janeiro de 2007, para gerar efeitos de forma inequívoca, teria que constar expressamente da Lei em debate, e não ser deduzida da confusa redação de um dispositivo legal que a tal não se

Mobilização dos policiais militares

Mobilização dos policiais militares provoca engarrafamento na Presidente Bandeira

O trânsito está bastante engarrafado na avenida Presidente Bandeira, no Centro de Natal, em função de uma mobilização por parte de policiais militares em campanha de negociações com o Governo do Estado, realizada na tarde de hoje (21).

Agentes da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) estão no local, mas o trânsito flui lentamente no sentido zona sul-Centro.

Bandidos são presos ao tentar assaltar policiais da Rocam na Rota do Sol

Crédito: Anderson Barbosa
Legenda: João Maria havia saído no mês passado do presídio e Walker Araújo responde por roubo no Ceará
Anderson Barbosa andersonssbarbosa@hotmail.com

A escolha foi desastrosa. Walker Araújo da Silva, de 31 anos, e João Maria Carvalho da Silva, de 25, mais conhecido como \'Joãozinho Briguento\', foram presos em flagrante quando tentaram assaltar, na tarde de ontem, no trevo da Rota do Sol, em Ponta Negra, dois policiais militares da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam). Os assaltantes, já bastante conhecidos da justiça, portavam uma pistola Ponto 40, de uso exclusivo da polícia. "Os dois acusados vinham nos seguindo em um Fiat prata, locado, de placas MZG-4253, ao longo de toda a avenida Roberto Freire. Quando pressentimos a aproximação, e suspeitamos que seríamos interceptados, fizemos uma manobra brusca no meio da pista e conseguimos nos posicionar por trás deles", relatou um dos PMs que não quis se identificar. Em meio à Rota do Sol, os policias foram em cima dos bandidos, que sacaram a pistola. Os soldados atiram em advertência e os dois se entregaram. Dentro do Fiat, os policiais encontraram dois capacetes, provavelmente usados para esconder os rostos durante os roubos. Após serem conduzidos à Delegacia de Plantão da zona Sul, descobriu-se que Joãozinho tinha acabado de ser liberado, no último dia 28, do Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato Fernandes, na zona Norte da cidade. Preso por assalto à mão armada, o rapaz é acusado de ser especialista em "saidinhas de banco". Contra ele, também pesa a acusação de ter roubado, de um policial militar, uma pistola Ponto 40. "Disso eu me lembro muito bem. O assalto aconteceu no dia 28 de novembro de 2007, dia em que o ABC se classificou para a Série B do Campeonato Brasileiro", disse o capitão Marlon de Gois, comandante da Rocam, que esteve na delegacia. Já o assaltante Walker Araújo da Silva, que alegou à reportagem que a dupla estava armada porque se defendia de ameaças de morte, tem mandato de prisão expedido no estado do Ceará desde o dia 1º de abril deste ano. Na capital Fortaleza, ele ainda responde a seis processos criminais, todos por saidinhas de banco. Dupla pode ter assaltado construtora Walker e João Maria, considerados pela polícia como especialistas em saidinhas de banco, ainda podem ser autuados por mais um assalto, ocorrido ainda na tarde de ontem, a uma empresa de construção civil. Uma funcionária da empresa, que foi abordada por dois homens quando entrava na construtora, teve um malote da empresa tomado pelos assaltantes. A vítima compareceu à Plantão e reconheceu camisetas e bermudas que a dupla pode ter usado quando a abordou na porta da firma. As peças de roupa estavam enroladas e escondidas na mala do carro. Ela não quis se identificar, não revelou a quantia roubada e ficou aguardando as imagens gravadas pelo circuito interno da construtora para ter certeza da autoria do crime.

studantes se enfrentam e são contidos pela PM

Estudantes se enfrentam e são contidos pela PM

Uma equipe da cavalaria da Polícia Militar, chefiada pelo Cabo Basílio, teve de abordar um grupo de estudantes na abertura do Campeonato das Escolas Estaduais e Municipais (CEEMs), ontem pela manhã no Palácio dos Esportes, para conter “um princípio de tumulto”. Os adolescentes foram revistados e liberados
Policial militar revista estudantes que se envolveram na baderna ontem na praça CívicaPolicial militar revista estudantes que se envolveram na baderna ontem na praça Cívica
Segundo informações da polícia, cerca de 12 estudantes estavam “fazendo baderna” e “tentaram tomar o facão de um funcionário da Prefeitura”, que fazia jardinagem. Comerciantes reclamaram do comportamento dos jovens, atemorizados pelo histórico do local, e ameaçaram fechar as portas. “Estamos fazendo uma abordagem para dispersar os estudantes porque estão chegando aqui ônibus de outras áreas rivais e a população teme novos confrontos. Temos que prevenir qualquer confusão”, diz o Cabo Basílio. “Esses adolescentes saem das aulas para brigar aqui nos arredores. O que nós podemos fazer nesse momento é dispersá-los”, acrescenta. A Polícia Militar colocou um efetivo de 80 policiais em todos os pontos de funcionamento do Campeonato – que são mais de 11, incluindo o Palácio dos Esportes, o Colégio Marista, o Clube Cosern, etc. O policiamento é necessário devido, de acordo com o coronel Araújo, às constantes brigas entre estudantes. “Os policiais estão lá para garantir a realização dos jogos”, diz o coronel Araújo. O Campeonato foi iniciado ontem e acontecerá até o dia 29 de agosto. Há nove dias, também na Praça Cívica, 25 estudantes foram detidos por conta de brigas na comemoração do Dia do Estudante das escolas estaduais. As brigas de gangue têm se tornado frequente nos arredores da Praça Cívica, entre estudantes que fazem parte de gangues rivais e são envolvidos com torcidas organizadas. No dia 29 de julho, nem mesmo a presença da governadora Wilma de Faria impediu que estudantes de gangues rivais brigassem durante uma solenidade. As gangues estão ligadas à rivalidade entre torcidas organizadas. O caso chegou à Câmara Municipal, que ontem pela manhã discutiu a violência nas escolas de Natal em uma audiência pública solicitada pelo vereador Heráclito Noé. Os participantes do debate mostraram indignação com os últimos acontecimentos referentes à violência na cidade e cobraram atitudes das famílias, da escola e do poder público para mudar o quadro atual. Participaram do debate a diretora da Fundação Bradesco, professora Francinete, entre professores, coordenadores, diretores e envolvidos com a educação. Também prestigiaram o debate os vereadores Bispo Francisco de Assis (PSB), Maurício Gurgel(PHS) e Hermano Morais(PMDB). Violência é tema de audiência A Câmara Municipal do Natal (PPS) fomentou uma audiência pública na manhã de ontem, por iniciativa do vereador Heráclito Noé (PPS), para discutir a violência nos estabelecimentos de ensino na Grande Natal. De acordo com o vereador, a violência nas escolas tem tomado proporções assustadoras. Durante a audiência, os presentes assistiram vídeos veiculados em cadeia nacional e no estado sobre ações violentas que têm ocorrido dentro das escolas. Heráclito Noé destacou a responsabilidade educacional que a escola tem na formação cidadã dos seus alunos. “Problema de violência nas escolas é um problema pedagógico e de gestão. Existem casos, como no Passo da Pátria, que a diretoria separou os alunos por bairros, causando constrangimento. Em outro caso, o diretor afirmou expulsar alunos que fossem pegos fumando. É como se um pai expulsasse seu filho de casa no primeiro problema. A escola deve ser local de inclusão e educação”, alerta. De acordo com o professor João Maria, presidente do fórum de políticas públicas sobre drogas, assistimos uma sociedade excludente. “Precisamos traçar políticas públicas com ações preventivas. Foi constituída uma comissão com representantes dos diversos níveis de ensino e líderes estudantis para formatarmos juntos programas de formação continuada. Estamos realizando seminários, implementando nas escolas conselhos de pais, assessorando escolas com palestras. É necessário que haja uma maior integração através de políticas de estado”, enfatiza. Edneuza de Paiva, integrante da casa Amor exigente, destacou a importância da união entre família e escola. “Esse assunto preocupa toda a sociedade. É um fenômeno que ocorre no mundo todo e em Natal infelizmente não é diferente. Ontem mesmo soube de um caso de uma jovem de Parnamirim que estava saindo da escola e foi sequestrada e violentada.

Nem todas as DPs têm prevenção

Nem todas as DPs têm prevenção

Priscilla Castro - Repórter A prevenção e controle da nova gripe nas prisões do Rio Grande do Norte está dividida. Nas penitenciárias e Centros de Detenção Provisória do Estado, além do material de higienização fornecidos aos agentes penitenciários, a atual determinação é de que qualquer visita só seja liberada se estiver utilizando a máscara, já disponibilizada pela Secretaria Estadual do Trabalho da Justiça e da Cidadania (Sejuc) para todas as unidades carcerárias do Estado. Nas delegacias, entretanto, o material ainda não está disponível nem para os policiais, nem para as visitas.
Júnior SantosPoliciais do GTO levam presos com sintomas da gripe até o Giselda Trigueiro para ser consultadoPoliciais do GTO levam presos com sintomas da gripe até o Giselda Trigueiro para ser consultado
A exceção é a delegacia de polícia do município de Macaíba, onde devido a um caso suspeito da doença em um dos presos, o delegado Frank Albuquerque iniciou o procedimento de distribuição de máscaras entre os presos e os policiais. No entanto, quem estava dentro das celas se negava a usar o material. “Ninguém ‘tá doente aqui não. Ninguém precisa de máscara”, dizia um dos presos. Como são 53 homens divididos em quatro celas, todos estão sendo monitorados. As visitas dessa sexta-feira foram suspensas e, na manhã de ontem, um médico foi até o local para realizar os exames e distribuir medicamentos. O delegado informou que, até o momento, nenhum deles apresentou febre alta. Gilson Leandro da Silva, detido na delegacia, apresentou febre alta no final de semana passada e foi encaminhado para o hospital de Macaíba. Diagnosticado com pneumonia e possível caso de gripe suína, ele foi encaminhado para o Hospital Giselda Trigueiro, onde está internado. A subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Juliana Araújo, informou que o quadro de Gilson é estável e sem agravamentos. Na terça-feira, a amostra de sangue foi encaminhada para o Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém, mas a previsão da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) é de que o laudo com o resultado só deve chegar no final da próxima semana. E diante dos últimos resultados, a média de positividade dos exames do RN encaminhados para o IEC é baixa, ficando em torno de 25%. Segundo o titular da Sejuc, Leonardo Arruda, esse é o primeiro caso suspeito entre os 300 mil presos existentes nas 27 unidades da Federação. Ele afirmou que nas 13 unidades carcerárias do RN, a entrega de máscaras, luvas cirúrgicas e álcool gel para os agentes penitenciários já está sendo realizada desde que a doença chegou ao Estado. “Recentemente saiu uma portaria do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), relativo aos presídios federais determinando que qualquer visita só poderá entrar se estiver de máscara. Então, nós estendemos essa medida também para o RN”, disse. De acordo com Juliana Araújo, a prevenção da nova gripe nas prisões exige atuação de outras secretarias estaduais. “A parte da saúde é muito informativa e preventiva. Nosso trabalho é orientar para evitar o contágio, que se alguém apresentar os sintomas, seja isolado e use a máscara. Mas nós sabemos que as condições dos presídios muitas vezes não favorece nossas orientações, aí outras secretarias devem entrar para adotar essas medidas de prevenção e contenção da gripe. A nossa parte está sendo feita”, disse. Saiba mais: Higienização A disponibilização de material de higienização e Equipamentos de Proteção Individual para as delegacias é obrigação do município. Mas segundo a chefe de vigilância epidemiológica do município, Viviane Albuquerque, o fornecimento ainda não foi pensado. “O que nós fazemos é a investigação da doença, caso alguém manifeste os sintomas, nós vamos até o local e isolamos o preso, da forma como a delegacia decidir, mas até agora não houve nenhum registro de caso suspeito”, disse. Na 1ª DP de Parnamirim, o pedido oficial foi feito pelo delegado Graciliano Lordão à Secretaria Municipal de Saúde e à Diretoria de Polícia da Grande Natal (Dpgran) na última terça-feira. A preocupação surgiu após o primeiro caso suspeito em Macaíba. “Nós já havíamos pedido informalmente, mas depois desse caso fizemos o pedido oficial. A Dpgran informou que já estava em posse desse material, mas até agora não recebemos. Nem os policiais, nem os presos, nem as visitas têm máscaras”, disse o delegado. Para os 96 presos, 50 pessoas participam das visitas toda semana.

Postos não oferecem estrutura para os policiais trabalharem

Postos não oferecem estrutura para os policiais trabalharem

A polêmica acerca do posto da Polícia Militar em Cotovelo, litoral Sul da Grande Natal, é antiga. A unidade vive sendo fechada e reaberta (geralmente no veraneio). Agora, o comando da PM resolveu reativar a unidade. Mas pelo que foi constatado ontem, a medida não vai ter tanta valia, já que o posto não tem a menor condição de funcionamento.
Marcelo BarrosoPosto de Cotovelo está isolado, sem nenhum tipo de comunicação e com as janelas quebradasPosto de Cotovelo está isolado, sem nenhum tipo de comunicação e com as janelas quebradas
Nos últimos dias até as janelas de vidro foram quebradas por vândalos. O objetivo é fazer com que os policiais – somente dois, quando o ideal seria o efetivo de três homens – permaneçam no posto durante 24h seguidas, mas as camas estão quebradas, suspensas com pedras. Ao redor, o matagal toma conta de tudo e as cobras são vizinhas dos policiais. Mas mesmo que os soldados atuem como heróis e resolvam se arriscar passando uma noite por ali, ainda assim a população provavelmente não estará mais protegida. Se algum popular for assaltado, por exemplo, não há como o posto ser avisado. Na unidade não tem rádio de comunicação, telefone fixo e o orelhão na calçada não funciona. Na tarde de ontem a equipe da TRIBUNA DO NORTE esteve no posto. Os dois soldados que estavam no local não quiseram dar entrevista, disseram que não tinham autorização. As informações sobre o posto foram passadas por populares, e facilmente constatadas com a visita. “Aqui a situação é essa. A insegurança é geral e os policiais não podem fazer nada”, disse um morador de Pium. Aliás, em Pium, a queixa é generalizada. Os moradores vivem em estado de tensão, com os últimos crimes ocorridos na comunidade. Assaltos e tiroteios são constantes. “Polícia aqui nem existe. Não vem nenhuma viatura por aqui. A gente vive no meio dos bandidos”, disse Joel Franco da Silva, de 41 anos, autônomo. O problema com os postos militares não é exclusividade dos distritos afastados do Centro de Natal. Na unidade do conjunto Ponta Negra a viatura está quebrada e o único policial que trabalha durante as 24h não há o que fazer, caso seja avisado de alguma ocorrência. O militar também não quis falar, mas lá não foi difícil constatar as deficiências. Um dono de restaurante falou que no local também não tem rádio, e a água e refeição são fornecidas por comerciantes da área. O coronel Francisco Araújo, comandante do Policiamento Metropolitano disse que tomou conhecimento dos problemas anteontem e já determinou que o posto seja completamente reformado. Quanto à falta de viaturas, o oficial informou que um dos carros novos já foi levado a Pium, e outros 44 devem ser colocados na rua semana que vem. Entre eles, um irá para o conjunto Ponta Negra.

PMs decidem hoje sobre mobilização

PMs decidem hoje sobre mobilização

Hoje, às 13h, no Clube Tiradentes soldados, cabos, sargentos e subtenentes da Polícia Militar decidiram em assembleia geral se haverá mobilização por parte da categoria, pois após o prazo de vinte dias dado ao governo estadual para um posicionamento em relação às reivindicações nada ainda foi decidido.

“A categoria pede agilidade do governo. Por três vezes a reunião com o secretário de Administração e Recursos Humanos foi remarcada. Estamos fazendo nossa parte com responsabilidade, o Comando pediu vinte dias e nós demos, agora resta ao Estado atender os pleitos, não aceitaremos tratar a segurança da população com indiferença”, explica o Cabo Jeoás Nascimento dos Santos, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar/RN.

As principais reivindicações dos policiais militares são: o cumprimento da Lei 273 que trata sobre o reajuste do piso salarial dos policiais e bombeiros militares, que deveria ser anual junto com os reajustes do salário mínimo. A outra exigência da categoria é a reformulação do Estatuto da Polícia Militar e do Código de Ética e Disciplina. “Esperamos que o governo seja sensível e cumpra a lei que vem sendo descumprida desde 2005. Se recebermos uma negativa, iniciaremos amanhã um movimento legal, cidadão e democrático para que o governo perceba a necessidade de valorizar a corporação e de dar prioridade a segurança pública para o povo potiguar”, afirma o presidente da ACS PM/RN.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Rivalidade deixa 2 mortos em show

Hudson Monteiro era amigo da vítima e estava no local na hora do crimeHudson Monteiro era amigo da vítima e estava no local na hora do crime
Dois homicídios foram registrados pela polícia após um show promovido por uma torcida organizada do ABC e realizado no estacionamento do estádio Maria Lamas Farache, o Frasqueirão. Um dos crimes teve motivação pela rivalidade de torcidas organizadas e o outro, segundo familiares da vítima, foi rixa por outro motivo. Paul Mackartiney Vieira Tavares, 22, foi assassinado quando esperava um ônibus juntamente com outros torcedores da Gang Alvinegra, na avenida Engenheiro Roberto Freire, após o show. Ele estava com um grupo de aproximadamente dez pessoas que foram abordadas por três homens que estavam em um Celta prata e chegaram a mencionar a torcida Máfia Vermelha. De acordo com testemunhas, os criminosos estavam todos armados e mandaram as pessoas ficarem paradas e colocar as mãos na cabeça. Nesse momento, todos correram, mas Paul não conseguiu escapar e foi executado com três tiros na cabeça. Ontem, durante o velório de Paul, um dos amigos que estava com ele deu algumas informações do que aconteceu. Segundo Hudson Ribeiro, eram três homens em um Celta 4 portas de cor cinza. “Já tinham falado pra gente que uns caras nesse carro estavam rodando naqueles lados do Frasqueirão”, disse. Hudson lembra que os homens pararam o carro em uma rua estreita e foram, todos armados, a pé em direção ao pessoal. “Depois que eles atiraram no Paul, eles gritaram: ‘É a máfia! É isso mesmo’ e foram embora”, recorda. O sobrevivente lembra que outra pessoa que estava na turma, um rapaz por nome Everton, foi ferido. “Ele levou um tiro na perna e foi atropelado. Como ele é fuzileiro naval, está no hospital da Marinha”, informou. O corpo de Paul foi velado na Igreja Adventista do 7º Dia, que não permitiu a entrada da imprensa. O pai dele, Pompeu Tavares, chegou a declarar que havia aconselhado ao filho a se afastar da torcida organizada. Abatido com a morte de seu filho mais velho, ele lembra que a família pediu que Paul não saísse no sábado à noite. “É uma dor muito grande. Quem fez isso não tirou só a vida dele. Tirou a minha e a da mãe dele”, declarou. O jovem de 22 anos é apontado pelos amigos como uma pessoa trabalhadora e que não se envolvia em briga. “É lamentável isso ter acontecido. Nós saímos para uma festa para nos divertirmos e acabamos perdendo um amigo”, destaca Hudson. O outro assassinato ocorreu na saída do Frasqueirão e vitimou o auxiliar de cozinha Cosme Wandauberto de Carvalho Silva, 24. Os familiares de Cosme foram categóricos ao afirmar que ele morreu por uma rixa antiga. Um primo dele, que não quis se identificar, revelou que todos já sabem quem matou Cosme e, inclusive, algumas pessoas viram ele cometer o crime. De acordo com o primo, ele mesmo já está ameaçado de morte pelo acusado. “Há dois anos e três meses ele matou meu irmão”, afirmou. O acusado foi identificado como Josean e é conhecido como “Sardinha”. Segundo a família, Cosme era fã da banda Facção Central que estava se apresentando na festa da Gang Alvinegra. O primo da vítima revelou que o acusado do crime entrou na festa armado e chegou a mostrar a pistola durante o evento. “A morte do meu primo não teve nada a ver com a do outro rapaz não, nem com briga de torcida, foi vingança mesmo”, afirmou. Os dois casos serão investigados pelo 15º Distrito Policial, em Ponta Negra. Promotor quer investigação de quadrilhas de torcedores “Está muito claro que alguns integrantes de torcidas (organizadas) são quadrilhas e precisam ser investigados dessa maneira”. A definição do promotor de Justiça Fernando Vasconcelos é reflexo da violência entre torcidas organizadas da capital e que na madrugada de domingo fez mais uma vítima: Paul Mackartiney Vieira Tavares, 24, executado a tiros quando saiu de uma festa com amigos, no estádio Frasqueirão.
Adriano AbreuEsse não é o primeiro crime por causa de rivalidade de gruposEsse não é o primeiro crime por causa de rivalidade de grupos
Integrante da comissão formada pelo Ministério Público Estadual (MPE) para Implementação do Estatuto do Torcedor, o promotor afirma que a rivalidade entre esses supostos torcedores “extrapola a questão esportiva”. “Crimes como esse, têm que ser esclarecidos”, cobrou. Ele baseia seu argumento de que as torcidas são quadrilhas, pois “são organizados para cometer crimes”. “Eles (integrantes de torcidas) devem ser investigados como formação de quadrilha”, declarou. Fernando Vasconcelos comenta que “a origem pode ser a rivalidade (entre os clubes), mas a coisa está numa dimensão muito maior”. Ainda de acordo com o promotor, essas questões vão além do próprio Estatuto do Torcedor. “É preciso aplicar o Código Penal”, sugere. Pensando nisso, o membro do MPE defende que sejam feitas investigações “com base na formação de quadrilha” e sugere um trabalho da inteligência da polícia para identificar os possíveis líderes e também os autores dos crimes. “O grande motor (para a violência) é a impunidade”, denuncia. Questionado se acha valido as reuniões entre MPE, Polícia Militar e integrantes de torcidas organizadas para definir estratégias antes dos jogos, o promotor explicou que “para eventos esportivos é importante o diálogo”. Além disso, Fernando Vasconcelos informou que torcida organizada não é citada no Estatuto do Torcedor. Contudo, ele ressaltou que “é uma característica de associação civil e isso está no código civil”. “Mas não pode ter fins ilícitos”, acrescentou. O comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Francisco Canindé Araújo Silva, explicou que as reuniões que antecedem alguns jogos são realizadas com o MPE e os líderes de torcidas organizadas com objetivo de disciplinar a conduta das torcidas antes, durante e depois dos jogos para que possíveis confrontos ocorram. Comando inicia contatos com a polícia cearense Preocupado com o risco de uma possível vingança, o Comando do Policiamento Metropolitano iniciou ontem os contatos com a Polícia cearense e integrantes da torcida organizada “Cearamor”, cujos integrantes têm afinidade com membros da Garra Alvinegra, do ABC, e devem acompanhar o Ceará na partida diante do América, no sábado, válida pela série B. Além disso, representantes da Polícia Militar e do Ministério Público Estadual se reúnem amanhã com líderes das torcidas organizadas de ABC e América com o objetivo de traçar o ajuste de conduta dos torcedores para o jogo de sábado. A torcida alvinegra foi chamada por possuir ligações com a torcida do Ceará. O objetivo é saber os horários de chegada e o local de concentração dos torcedores cearenses para realizar o patrulhamento. O comandante revelou que “existe o risco” de um possível confronto e por isso “essas medidas preventivas serão tomadas”. A intenção é que o trabalho preventivo comece desde a fronteira do Rio Grande do Norte até o estádio Machadão. Além disso, páginas na internet de sites de relacionamento serão mapeadas e monitoradas pela polícia com objetivo de descobrir possíveis emboscadas ou que brigas sejam marcadas por essa mídia eletrônica. Rivalidade de grupos já ocasionou outras mortes Em junho do ano passado, a rivalidade entre supostos integrantes de torcidas organizadas de Ceará e América resultou em outra morte. O torcedor do América Jeferson Gabriel da Silva, 17, foi morto a tiros quando dois ônibus, com cerca de 100 torcedores, voltavam na madrugada de 14 de junho para Natal e foram interceptados por um veículo Gol, na rodovia estadual CE-040, entre as cidades de Aquiraz e Pindoretama. O grupo teria atirado nos pneus dos ônibus. Quando os torcedores desceram para para tomar conhecimento da situação, foram recebidos com disparos de arma de fogo. A vítima atingida foi encaminhada pelo Samu ao Instituto José Frota (IJF), em Fortaleza, mas não resistiu aos ferimentos e veio a falecer. Os outros torcedores que estavam nos ônibus retornaram para Natal, escoltados por viaturas do Comando de Policiamento Rodoviário (CPRV). O comboio teria recebido proteção policial somente durante na parte inicial do percurso de volta ao Rio Grande do Norte.

Policial da Reserva é baleado durante tentativa de assalto no Planalto

O Terceiro Sargento da reserva da Polícia Militar Francisco Barbosa de Souza foi baleado de raspão no braço ontem à tarde, por volta das 15h30, durante uma tentativa de assalto ao seu mercadinho, na rua Jardim do Eden, no Planalto, Zona Oeste de Natal.

De acordo com a polícia, os bandidos - ainda não se sabem quantos, invadiu o Mercadinho e Sorveteria Bom Sabor, de Propriedade do policial, por volta das 15h30, e anunciou o assalto. Francisco reagiu e nervosos os bandidos atiraram, atingindo-o de raspão no braço e fugindo em seguida.
A polícia foi acionada e conseguiu deter um dos suspeitos, identificado como Zenílson Amaro de Faria na Travessa Paracati, ainda no Planalto, próximo ao local da tentativa de assalto. Ele foi conduzido a Delegacia para os procedimentos. Os demais envolvidos conseguiram escapar. O policial foi levado ao hospital, medicado e liberado em seguida. O caso será investigado pela 11ª DP.

Da redação do DIARIODENATAL.COM.BR

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Militarismo, teatro, faz de conta, evolução

Posted: 14 Feb 2009 12:54 PM PST Relembrando os últimos acontecimentos, veio-me a mente como o militarismo é um grande teatro. Existem muitas coisas sem sentido nesse mundo de faz de conta. Coisas que você pergunta: Pra quê isso? Eu não consigo encontrar explicação, por mais que eu tente. Eu não consigo entender, não entra na minha cabeça, a lógica em retirar cerca de uma centena de policiais de suas atividades operacionais e administrativas para fazer teatro e coro. Eu não entendo porque, quando um militar sai de uma seção do quartel, é preciso que ele faça continência, peça permissão para retirar, desfaça a continência, dê meia-volta e rompa marcha. Não bastaria um educado “com licença, superior”. Eu não entendo esse sistema de castas, de segregação. Círculo tal, círculo tal, círculo fulano de tal. Para mim, todo mundo é igual. Na sociedade e na natureza, as separações e as aglutinações ocorrem de maneira natural. Não é preciso lei nem regulamento para isso. E não entendo muitas outras banalidades que em nada contribuem para uma melhor prestação de serviço à comunidade. É importante deixar claro que não sou contrário à hierarquia e à disciplina, mesmo porque elas existem em todas as organizações. Só penso que tudo tem que evoluir. O militarismo nas Polícias, atualmente, virou um grande teatro, um mundo de faz de conta. Está obsoleto, desnecessário para profissionais que lidam com a comunidade, e não com inimigos que devam ser eliminados. Se, nos cursos de formação, trocarem as aulas de ordem unida por aulas de técnica policial, a instituição e a sociedade irão ganhar, com certeza. Ordem unida é teatro! O militarismo, no meu entender, é uma forma de levar o profissional a somente dizer “sim, senhor”. No entanto, muitas vezes é imperioso que o policial diga “não, senhor, não temos efetivo para cumprir essa operação”; “não, senhor, não temos equipamentos para cumprir a determinação”; “não, senhor, a culpa não é minha, a culpa é de uma total falta de estrutura”. Se a natureza evolui, as organizações também têm que evoluir. Pense nisso!