terça-feira, 20 de outubro de 2009


Três são executados por homens encapuzados na Zona Oeste

O bairro do Bom Pastor, Zona Oeste de Natal, teve a madrugada desta terça-feira (20) marcada pela violência. Daniel Coelho de Oliveira, 26, Vágner Ferreira de Oliveira, 16, e Ilário Valério,19 foram mortos a tiros na rua dos Paianases, por pelo menos oito homens encapuzados. A suspeita é de que o triplo homicídio esteja relacionado com a morte do guarda patrimonial Francisco Fernandes Campos, 55, assassinado também a tiro na noite do último domingo (19) em frente ao CEJA (Centro Educacional de Jovens e Adultos). De acordo com informações da Delegacia de Plantão da Zona Sul, pistolas e armas de grosso calibre - espingardas 12 - foram utilizadas nas execuções.

O triplo homicídio foi registrado por volta de 1h. Dois carros, um Pálio e um Gol entraram na rua com pelo menos quatro homens encapuzados em cada veículo. Os alvos eram Daniel, Vágner e Ilário, que estavam em frente a uma casa no momento em que os carros passavam. Eles foram abordados e mortos com vários tiros. Dois dos jovens, Daniel e Vágner, morreram no local. Ilário ainda chegou a ser socorrido, mas segundo informação confirmada pela Plantão Zona Sul, não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital. Existe a informação de que outro jovem, identificado apenas como Paulo, também foi baleado, mas passa bem. Os criminosos fugiram sem deixar pistas.

Com o triplo homicídio da madrugada, agora são quatro o número de execuções possivelmente ligadas à morte do guarda patrimonial. Por volta das 21h de domingo, Frank Dani da Silva Coelho, 27 anos, foi executado com 16 tiros, de acordo com o laudo 011407-1009, na Travessa dos Paianases, no bairro Bom Pastor. Informações dão conta que Frank Dani e Daniel são primos legítimos. Segundo familiares eles eram amigos de Ilário e Vágner. Todos cresceram juntos no bairro.

Daniel foi morto com sete tiros, de acordo com o laudo 011410-1009, e  Vágner com sete tiros, segundo o laudo 0111411-1009. O corpo do outro jovem Ilário Valério está no Hospital Walfredo Gurgel e ainda será levado para o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) para ser necropsiado.

Caso do guarda patrimonial

Existem indícios de que as quatro execuções estejam relacionadas com o assassinato do guarda patrimonial Francisco Fernandes Campos na noite de domingo. O guarda prestava serviço como segurança do CEJA, na avenida Coronel Estevam, quando foi morto com um tiro no pescoço. 

Segundo informações de parentes da vítima, o homicídio pode ter sido motivado por  vingança. Severino Severo, amigo do guarda, disse que os assassinos são usuários de drogas e que teriam matado Francisco por ele, não permitir o consumo de entorpecente dentro do Ceja.

O major Alarico Azevedo, chefe de operações da PM, informou ontem que, momentos após o crime, três jovens foram detidos. O trio foi encaminhado na madrugada da segunda para o Itep onde foi realizado o exame residuográfico, mas, posteriormente, foi liberado por falta de provas.

Um comentário:

RONDA DO SERTÃO disse...

Olá companheiros da 1ª CIA/ 5ºBPM do RN, sou o cabo Azevedo da Paraiba, eu já sou seguidor de vocês já ha alguns dias e queria ter a honra de te-los como nosso seguidor também. Valeu www.rondadosertao.blogspot.com